Coluna

– Jornalismo com opinião

<

A rapper Bivolt acusa o namorado e também rapper do grupo Síntese de agressão

Publicado por: em 20/07/18 2:09 PM

 

 

 

var links = ["https://www.catarse.me/coluna-popular","https://t.me/site_acoluna","https://www.messenger.com/t/siteacoluna"]; var linkUm = 0; function trocaimagem() { imagematual = (imagematual + 1) % 3; linkUm = (linkUm + 1) % 3; document.querySelector('.jpg img'). src = imagens[imagematual]; document.querySelector('.superLink'). href = links[linkUm]; } setInterval(trocaimagem, 5500);

 

A rapper Bivolt causou grande repercussão nesta sexta-feira (20), ao publicar em sua conta no Instagram uma série de posts acusando o namorado e também rapper Neto (Síntese) de agressão durante uma discussão. Acusou também o irmão do artista – contra este ultimo, ela vai mais além e acusa o cunhado de ter estuprado uma mulher (não identificada).

Em seu Stories a rapper ainda diz que, após diversas agressões verbais do irmão de Neto, decidiu não mais suportar aquilo calada e ter cuspido na cara dele. Em reação, o namorado, também integrante do Síntese, deu um murro no rosto de Bivolt.

Ela conta que o episódio foi o estopim de uma série de problemas abusivos que estava passando, ao que acrescenta:

“Ele (Neto) faz drama, diz para a família que sou eu que preciso dele, depois aparece dizendo que me ama”.

Bivolt ainda diz na série de publicações o motivo de escrever a primeira parte do verso do rapper em “Poetas no Topo” com a seguinte declaração:

“Pois eu vi ele todo podre, fumando um cigarro atrás do outro, sem conseguir compor”.

A artista ainda afirmou que irá fazer um boletim de ocorrência por temer algum tipo de represália do cunhado, afirmando que o mesmo é uma pessoa “perigosa e nociva, que faz de tudo para chamar atenção”.

Leia também: Reconhecendo relações abusivas e de poder

Machismo no RAP

O episódio aconteceu quase 4 meses após o grupo Costa Gold ser acusado por seus seguidores de promover apologia ao estupro com a música “Preguiça“, que em um de seus trechos diz:

“Deixa ela dormir que se ela vira, eu como
Boto o cano na goela e atiro gozo”

A música do grupo conta com a participação do rapper Xamã, conhecido por seus speed flows e, pelo menos até meados de 2017, seu rap de mensagem. Entretanto, o poeta parece negar a ideologia progressista que tanto propaga em suas músicas ao compactuar com a produção de uma música com letra misógina.

Na época, o rapper Caio Nog, em suas redes sociais se manifestou sobre o acontecido e complicou ainda mais a situação do grupo:

“O Costa Gold jamais incentivaria a cultura do estupro, seja através de uma música ou qualquer outro tipo de coisa”.

Sobre a repercussão do trecho da música “Preguiça”, ele afirmou:

“Somos Mc’s. Julgados desde que fazemos o que fazemos. Nossa licença poética nos permite causar a sensação que desejamos numa música. Seja ela angústia, empolgação, revolta, semelhança, nojo… enfim. Isso que posso dizer! Mais do que isso, aí vai da implicância de cada um. Mais uma vez! Paz!”

Veja as publicações da rapper Bivolt logo abaixo:

Cleber Lourenço
Editor-chefe, fundador e colunista desse site que tem como objetivo questionar e denunciar.
Entre em contato: cleber@acoluna.co
Cleber Lourenço on EmailCleber Lourenço on FacebookCleber Lourenço on Twitter
banner com links