Coluna

– Jornalismo com opinião

<

Hospital Regional: Descaso com a população no interior do Paraná

Publicado por: em 22/01/19 7:49 PM

A obra do Hospital Regional em Toledo interior do Paraná, foi iniciada com muitas promessas para a população. Foram gastos em média de R$ 30 milhões, com a promessa de que o hospital atenderia 18 municípios e com apoio da Faculdade de Medicina e gestão da EBSERH (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares), o hospital também serviria como campo de prática para realização de atividades de ensino, pesquisa e extensão, de ensino-aprendizagem e formação de pessoas no campo da saúde pública. E que atenderia a população através do SUS.

A obra do Hospital Regional foi entregue em 2016, desde então, ele não abriu suas portas e iniciou uma novela no município.

Hospital Regional de Toledo – PR

Durante todo esse tempo, houve um abandono por parte do ex-governador Beto Richa, e também como consequência, o Hospital parado, sendo utilizado apenas como depósito dos equipamentos comprados que sequer saíram da caixa, começou a ter problemas na estrutura, tendo mais um empasse para ser resolvido.

O atual prefeito de Toledo Lucio de Marchi (PP), ensaiou a inauguração do Hospital Regional, mas sem a instalação completa da obra, o Hospital continuou lá parado.

Em junho do ano passado, a Prefeitura de Toledo e o Ministério Público assinaram o TAC, um termo de conduta para garantir a abertura do Hospital Regional até 1 de agosto de 2019, não respeitando esse prazo, a prefeitura pagará uma multa de até R$ 25 mil reais.

Já em novembro de 2018, a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano (SEDU) por meio do convênio nº 1503 de 2018 destinou ao município de Toledo mais de R$ 1 milhão para adequações no Hospital Regional, deixando os moradores na esperança de que finalmente poderão ter acesso a esse recurso na saúde.

Fica o aguardo de que o Hospital Regional seja inaugurado de forma completa, já que o prefeito Lucio de Marchi é conhecido por inaugurar obras inacabadas na cidade.

Inauguração de obras inacabadas

Lucio de Marchi é investigado por inaugurar uma obra inacabada durante o período eleitoral, o que é proibido por uma lei municipal aprovada no fim de 2017. O ato é considerado como autopromoção.

A obra inacabada foi a Central de Especialidades Médicas e Saúde do Trabalhador Radialista Osvaldo Luiz Ricci, no dia 1º de outubro, duas semanas antes da conclusão prevista no contrato.


Central de Especialidades Médicas e Saúde do Trabalhador Radialista Osvaldo Luiz Ricci. Toledo – PR

No local foi encontrado irregularidades como demora no atendimento, falta de equipamentos considerados importantes, a falta de acesso a internet na triagem dos pacientes e em parte dos consultórios, de lavatórios nos banheiros dos funcionários, além de problemas na estrutura do prédio como vãos entre as salas, o que compromete a privacidade no atendimento dos pacientes, ocorrendo porque a inauguração antecipada não permitiu a prestação dos serviços de saúde à população de forma adequada.

Também tem a obra da unidade de saúde da família, no Jardim Panorama II, que foi inaugurada em dezembro de 2016, mas até hoje nunca ofereceu um atendimento.

Unidade de saúde da família, no Jardim Panorama II.
Toledo – PR

Já um centro municipal de educação infantil, localizado no bairro Jardim São Francisco, foi inaugurado em junho de 2016 e só iniciou os atendimentos em 2017, ainda assim de forma reduzida por falta de profissionais.

A ação contra o prefeito pede a perda da função pública, suspensão dos direitos políticos, pagamento de multa e o bloqueio de bens do prefeito em até R$ 185 mil.

Redação A Coluna
banner com links