Coluna

– Jornalismo com opinião

<

LISTA | 5 absurdos ditos por Mourão

Publicado por: em 27/09/18 4:30 PM

Foto principal:  Paulo Whitaker/Reuters

Faltam poucos dias para o primeiro turno acontecer, com Jair Bolsonaro hospitalizado devido a facada, seus apoiadores se sentiram mais a vontade para emitir declarações. 

Decidimos reunir aqui melhores declarações de do General Mourão que aparentemente está empenhado em afundar a própria campanha. Sim, talvez a “militância” do militar da reserva consiga afundar a candidatura de Bolsonaro com mais eficácia que a própria esquerda em si.

1 -Índios indolentes e negros malandros

Essa é a declaração mais famosa do general, aparentemente também deve ser a mais querida por ele já que a mesma fala foi dita primeiro em 2017 e depois reprisada agora em 2018. 

“E o nosso Brasil? Já citei nosso porte estratégico. Mas tem uma dificuldade para transformar isso em poder. Ainda existe o famoso ‘complexo de vira-lata’ aqui no nosso país, infelizmente. Nós temos que superar isso. Está aí essa crise política, econômica e psicossocial. Temos uma herança cultural, uma herança em que tem muita gente que gosta do privilégio. Mas existe uma tendência do camarada querer aquele privilégio para ele. Não pode ser assim. Essa herança do privilégio é uma herança ibérica. Temos uma certa herança da indolência, que vem da cultura indígena. Eu sou indígena. Meu pai é amazonense. E a malandragem, Edson Rosa, nada contra, mas a malandragem é oriunda do africano. Então, esse é o nosso cadinho cultural. Infelizmente gostamos de mártires, líderes populistas e dos macunaímas”

Em sua “segunda versão” da declaração Mourão ainda afirmou de maneira pejorativa que a América do Sul seria um condomínio de países periféricos

Veja também:  O juiz que prendeu o primeiro lugar nas pesquisas é amigo da chapa em segundo lugar nas pesquisas.

2 – Essa “mulambada”

Durante uma palestra dirigida a empresários em São Paulo o general chamou sul-africanos de mulambada na seguinte declaração:

Partimos também para aquela diplomacia que foi chamada de Sul-Sul, e aí nos ligamos com toda a mulambada, me perdoem o termo, existente do outro lado do oceano, do lado de cá, que não resultou em nada, só em dívidas que foram contraídas e estamos levando calote disso aí. Entregamos nossos recursos para esse pessoal.

Quando questionado sobre a declaração racista e preconceituosa o general não perdeu tem em se justificar afirmando que usou o termo para agradar a plateia.

Foi apenas para o auditório ficar mais satisfeito. Não eram os países que trariam, digamos assim, o retorno do investimento que fizemos. Só isso.

Mourão deixou claro que para agradar um público faria de tudo, inclusive ser ser racista. Imagine o que essa cara não faria mais? Se juntarmos esta declaração com a anterior podemos ver que o General não se esforça em esconder o ódio e racismo em suas declarações.

3 – Mulheres e seus desajustados

O candidato a vice-presidente na chapa de Jair Bolsonaro (PSL) recentemente disse em um evento do Sindicato da Habitação (Secovi) que que o Brasil vive uma crise de valores e que famílias onde as crianças são criadas apenas por mães ou avós seriam fábricas de desajustados.

Mourão em uma declaração totalmente descabida com a realidade brasileira basicamente afirmou que as mais de 11 milhões de famílias brasileiras chefiadas por mulheres seriam verdadeiras fábricas de criminosos.

Na ocasião algum generais próximos a campanha de Jair Bolsonaro afirmaram que Mourão poderia ser o calcanhar de aquiles de toda a campanha.

Leia mais: Fascismo, PRTB e Mourão: agora tudo faz sentido

4 – Mulheres e seus desajustados parte 2

Nesta ultima quarta-feira (26) Mourão se envolveu em outra confusão ao tentar se justificar sobre a declaração acima. Primeiro afirmou que famílias ricas não tinham esse tipo de problema, depois afirmou que geralmente nas famílias pobres o pai é ausente pois está preso ou morto.

Veja o vídeo abaixo:

Mourão ataca novamente

Em entrevista para a rádio Guaíba, de Porto Alegre, o general Hamilton Mourão, vice de Jair Bolsonaro, mais uma vez tentou se explicar sobre a polêmica frase onde afirmava que famílias constituídas apenas por mulheres eram fábricas de desajustados.Veja mais: https://acoluna.co/mourao-tenta-se-corrigir-e-afirma-que-mulheres-chefiam-familiar-pois-na-maioria-dos-casos-o-pai-esta-preso/

Posted by Coluna on Thursday, 27 September 2018

5 – Excesso de benefícios

Mourão realmente parece estar determinado em afundar a própria campanha, um dia após a declaração acima o general  defendeu o fim do 13º salário em palestra no CDL (Clube dos Diretores Lojistas), no Rio Grande do Sul, ele disse que o 13º salário é uma “jabuticaba”.

“Sabemos o custo que tem o trabalhador, nessa questão do sindicato, imposto sindicato, em cima da atividade produtiva. É o maior custo que existe. E temos algumas jabuticabas que são uma mochila das costas de todo empresário. Jabuticabas brasileiras. 13º salário. Se a gente arrecada 12, como pagamos 13?”

Além de afirmar que demais direitos trabalhistas seriam dispensáveis o general ainda mostrou uma profunda ignorância sobre o tema.

A declaração incomodou tanto que o próprio Jair Bolsonaro, defensor de uma reforma trabalhista mais agressiva e que empregos devem ser criados mesmo sem benefícios, “puxou a orelha” do seu vice.

O que é o 13º salário?

O calculo é simples. Se o trabalhador recebe R$ 1.000,00 mês e o mês tem 4 semanas, significa que ganha por semana R$ 250,00.

O ano tem 52 semanas. Se multiplicarmos R$ 250,00 (Salário semanal) por 52 (número de semanas anuais) o resultado será R$ 13.000,00

R$ 250,00 (Salário semanal) X 52 (número de semanas anuais)= R$ 13.000,00

Ou seja: o 13º salário não é nenhum beneficio e sim um direito. Não é um salário extra e sim o seu salário de fato!

Veja também:

Cleber Lourenço
Editor-chefe, fundador e colunista desse site que tem como objetivo questionar e denunciar.
Entre em contato: cleber@acoluna.co
Cleber Lourenço on EmailCleber Lourenço on FacebookCleber Lourenço on Twitter
banner com links